Matheus Carcasa Web Gestão de TI / Web / EaD
Desde 2002, seus parceiros na Web.
Enviar
logo

Educação ao longo da vida: entenda o desafio

A formulação do desafio é simples. Em nosso mundo, tecnologia e educação não estão promovendo casais. O modelo educacional tradicional, ainda predominante, vê a educação como um investimento feito no início da vida profissional, que ao longo dos anos vem colhendo resultados. Para um perfil gerencial, isso se traduz em uma boa base de conhecimento em uma universidade de prestígio, um MBA exigido pelas empresas antes de iniciar a vida profissional ou nos primeiros anos, completado por alguns programas corporativos oferecidos por suas empresas.

Esse modelo não funciona mais, seus retornos estão diminuindo. Dois fatores principais explicam isso: o prolongamento previsível de nossa vida profissional e a ruptura tecnológica que altera radicalmente os mercados e a maneira de se relacionar. É provável que, ao longo de sua vida profissional, uma pessoa conheça várias revoluções tecnológicas ou empresariais. É necessário aprender novas habilidades durante nossas carreiras, investir na educação e obter retornos ao mesmo tempo, ou conforme observado por “The Economist”, “aprender à medida que você ganha”.

As implicações da transformação do modelo educacional começam nas próprias escolas, onde será mais importante fornecer aos alunos recursos para pensar, aprender e agir, reforçando as habilidades metacognitivas nos currículos.

Mas é na educação de adultos, durante a vida profissional, onde quase tudo deve ser feito e os desafios são maiores. Podemos dizer que o processo já começou, mas até agora beneficia principalmente aqueles que já têm vantagens.

A educação ao longo da vida implica um enorme desafio para todos os atores.

http://www.freepik.es/

http://www.freepik.es/

A competitividade de seus países está em jogo para os governos e para impedir que a atual evolução da tecnologia e o aprendizado exacerbem as desigualdades sociais.

Para as empresas, também envolvidas em rupturas tecnológicas, significa o desafio de se reinventarem para competir e vencer nos novos modelos de negócios, projetando estratégias a serem implementadas com sucesso e acompanhadas pelo desenvolvimento de novas capacidades em seus funcionários.

Para as pessoas como profissionais, significa assumir o desafio pessoal de desenvolver seu aprendizado nas diferentes fases de suas vidas. Possuí-lo, não deixá-lo nas mãos de seu empregador, interpretando como nossa profissão se reinventa, como novas oportunidades surgem, mantendo ativo nosso “portfólio de investimentos em aprendizado”. Em resumo, entender que “aprender” é um verbo que ninguém vai conjugar para mim.

A destruição do emprego nos últimos anos de crise fez com que muitos profissionais precisassem investir em educação para adquirir novas habilidades e se reposicionar no mercado de trabalho. Por outro lado, o crescimento nos últimos anos do número de profissionais autônomos faz com que construam suas vantagens competitivas em relação a novos modelos e ferramentas aprendidas. Estes são apenas dois exemplos em que as necessidades de aprendizado “à medida que você ganha” se manifestam de maneira premente. Mas também existe, mesmo que não seja tão visível nos profissionais das empresas nas quais a mudança perturbadora está penetrando rapidamente. O desafio para todos é fazer isso com antecedência, de forma contínua, fazendo a escolha certa e, assim, mudando algo relevante em nossa prática profissional.

Já sabíamos que nem sempre trabalharíamos em uma empresa. A educação ao longo da vida também significa que não seremos um único profissional ao longo de nossas vidas, mas provavelmente vários. Teremos que procurar as ferramentas para fazê-lo com sucesso.

 

Se desejar, você pode ler o artigo The Economist em: http://www.economist.com/news/leaders/21714341-it-easy-say-people-need-keep-learning-throughout-their-careers-practicalities

Publicações relacionadas

Comments are closed.