Matheus Carcasa Web Gestão de TI / Web / EaD
Desde 2002, seus parceiros na Web.
Enviar
logo

Ser gestor de TI

O primeiro passo para melhorar é reconhecer seus pontos fracos e agir para se tornar melhor.

Abaixo, algumas falhas que um gestor de TI pode cometer e que enfraquecem sua gestão, mas também as ações que deve tomar para corrigi-las e evoluir em sua carreira.

1. Não construir conexões com seus pares, líderes empresariais e alta gerência
Você é daqueles que não mistura vida pessoal com profissional? Não quer amigos no trabalho? Tudo bem! Não precisa ser amigo de todo mundo, mas não criar bons relacionamentos no trabalho pode deixa- lo sozinho numa ilha, sem apoio de pares, outros líderes e seus chefes! Conecte-se!

Ação:
> Reúna-se com eles periodicamente.
> Questione pontos de melhoria, não espere que encontrem falhas.
> Ouça a avaliação deles (sobre pontos fortes e fracos na organização, utilizando esta informação para tomar providências coerentes com sua função).

Dica: “Você não precisa transformar as pessoas em amigos ao longo da vida, mas vocês devem se sentir perfeitamente confortável juntos.”

Case: A Exame conta que Romero Rodrigues, fundador do Buscapé, enquanto negociava a venda da empresa para o grupo de mídia sul- africano Naspers, percebeu que o Buscapé tinha uma problema de gestão grave: as áreas não se falavam: “A empresa parecia o seriado Game of Thrones, cheio de reis lutando para ver quem tinha mais poder”, em referência ao seriado de ficção, exibido no Brasil pelo canal HBO, que conta a história da disputa por um trono. O negócio foi fechado por 600 milhões de reais e Romero foi convidado a permanecer no comando do grupo, mas decidiu mudar toda a administração, a começar por seu estilo de liderança.

2. Incapacidade de Influenciar (pares, alta gerencia e subordinados)
Você responde fingindo saber sobre um assunto que é totalmente leigo? Conta pequenas mentiras para camuflar erros ou atrasos, achando que são “mentiras do bem”? Não cumpre os prazos que promete? Lembre-se que para influenciar pessoas, estas precisam confiar em você.

Ação:

Influenciar pessoas depende da percepção que elas tem sobre sua integridade, credibilidade e habilidades. Para que isso aconteça, lembre-se:

> Nunca minta (você pode corrigir falta de conhecimento ou habilidade, mas não falta de integridade).
> Seja honesto (admita quando não sabe algo e informe que responderá, cumpra o prazo para isso, e quando souber a resposta, responda).
> Tenha respostas prontas (por que, o que, como, quando e quanto) para assuntos que estão a seus cuidados.
> Seja confiável (cumpra o que diz ou certifique-se que as pessoas serão avisadas caso ocorra um atraso).
> Esteja preparado para justificar seus pedidos (motivos para orçamento, contratação de pessoal, etc).

Resumindo: suas respostas corretas e verdadeiras devem mostrar que você é experiente, confiável e íntegro.

3. Dificuldade de liderar sua equipe (influenciar, construir e manter)

Acredita que sua equipe deve ser menos experiente que você? Assume os méritos por um trabalho bem feito por alguém na equipe? Acha que cada um precisa se virar sozinho? Se você pensa assim, já está à beira da ruína como gestor.

Ação:
> Garanta o sucesso da equipe pois alguém nela acha que deveria estar em seu lugar. Fazendo isso, todos verão que você foi uma escolha acertada!
> Contrate sempre “o melhor no que faz” e “mais entusiasmado”, sem medo de que ele seja melhor que você.
> Papéis críticos nunca devem ficar vagos por um longo período, seja por sobrecarregar a equipe ou por facilitar falhas.
> Deixe sua equipe confortável para lhe dizer quando você está no caminho errado.
> Empodere-os! Bons técnicos vão salva-lo por indicarem o melhor caminho sempre. Ouça sua equipe, inclusive o profissional júnior.
> Dê os créditos a quem faz o trabalho. Não deixe que outra área ou par faça isso em seu lugar!
> Recompense desempenho além do esperado (o que pode incluir não apenas resultado, mas também trabalho fora de horário, pequenos sacrifícios pessoais, etc).
> Envolva o RH em problemas rapidamente e mantenha backup de todas instruções e negociações. Proteja-se de mal entendidos.
> Seja um mentor para sua equipe (ajude-os ou consiga ajuda).

4. Confiança traída
Costuma dizer meias verdades? Só diz o que é conveniente para você? “Esquece” que se comprometeu com algo? Acusa outros por falhas no trabalho?
Lembre-se: a falta ou a quebra de confiança em relação à equipe é um dos maiores motivos para o fracasso de gestores.

Ação:

> Nunca minta, nem diga meias verdades.
> Não omita informações necessárias para uma conversa.
> Não esqueça convenientemente o que disse ou com o que se comprometeu.

Dica: O livro “Chefes ruins, colegas de trabalho loucos e outros idiotas do escritório”, de Vicky Oliver, e dicas de Lynn Taylor, fala dos sinais que indicam um chefe terrível e o que pode ser feito diante dessa situação.

Veja um resumo de como lidar com chefes assim, e não seja um deles!!

5. Não isole sua equipe do resto da empresa
Você quer trabalhar quieto no seu canto? Não quer que a equipe se desloque para falar com outras áreas? Costuma dizer que as pessoas estão “passeando”? Cuidado! Você pode ser pego de

surpresa por não ser avisado sobre o que ocorre na empresa. Relacione-se e deixe sua equipe fazer o mesmo!

Ação:

> Manter relacionamento e troca de informações com áreas correlatas e de negócio garantem que o trabalho flua e sua área não seja pega de surpresa em alguma situação.
> Incentive a integração e o bom relacionamento entre as áreas que sua equipe interage.

6. Incapacidade de pensar estrategicamente
A vida de bombeiro te atrai? Gosta de apagar os incêndios, resolvendo mil problemas ao dia? Continua envolvido nas questões técnicas do dia-a-dia? Pare tudo! Um gerente precisa envolver-se na estratégia, trazendo soluções de longo prazo.

Ação:

> Foque nos objetivos a médio e longo prazo. Planeje!
> Você deixou de ser técnico, preocupado com tarefas imediatas.
> Não seja um gerente bombeiro. Delegue! Confie em sua equipe.

7. Diferenças estratégicas com a Gestão

Tem medo de falar com seu chefe? Não consegue defender suas ideias quando os executivos tem outra opinião? Melhor buscar oportunidades para vender o seu peixe e sobreviver. Posicionar-se pode ser a chave do sucesso.

Ação:

> Primeiro: Escolha o momento certo. No meio de uma turbulência e de uma reunião ruim: nem pensar!
> Proponha soluções e adeque seu discurso ao estilo do interlocutor.
> Caso ocorram mudanças de gestão em sua hierarquia, apresente suas ideias e caso não sejam acolhidas, pense em buscar outras oportunidades. Não tenha medo dessa decisão.

Dica: O artigo “Saiba como convencer seu chefe”, da Harvard Business Review Brasil diz que “As organizações não prosperam a não ser que os gerentes nas fileiras intermediárias identifiquem a necessidade e promovam a mudança. As pessoas nesse nível reúnem informações valiosas graças ao contato direto com clientes, fornecedores e colegas. Seja este gerente!

8. Falhas em delegar
Não consegue delegar, pois acha que só você consegue resolver uma questão técnica? Acha que só você consegue configurar aquele roteador ou depurar um programa? Ser gerente também significa abrir mão de velhos conhecidos.

Ação:

> Não carregue tarefas de sua antiga função técnica com você!
> Questões não técnicas podem e devem ser delegadas a seus recursos mais experientes.
> Use bem o seu tempo em planejamento e gestão. Mostre seu valor como gestor, não executor.
> Aprenda o que, para quem e como delegar, pois sua responsabilidade não é delegável.

Dica: Aprenda mais sobre assunto neste artigo esclarecedor da Administradores: Líderes devem saber delegar.

9. Resistência a mudanças
Ter medo das mudanças pode afundar sua aspiração à gerência. Não seja a pessoa “do contra”! Afinal, vivemos num mundo ágil onde as empresas requerem evolução constante, e você tem uma importante função: convencer sua equipe a mudar quando necessário.

Ação:
> Os gerentes mais bem-sucedidos são aqueles que impulsionam a mudança para a organização. Seja esta pessoa!
> Identifique resistência à mudança na equipe e pares. Será mais fácil lidar com ela.
> Esteja antenado às mudanças de tecnologia, métodos e processos que envolvem sua função. Seja o agente da mudança!

10. Excesso de confiança, Defensividade ou Arrogância
Se seu ego é maior que o prédio onde fica a empresa, se está sempre certo ou na defensiva, com medo de descobrir que não sabe tudo nesta vida, melhor repensar seu desejo de liderar. A não ser que queira tornar-se um ditador odiado por sua equipe.

Ação:
> Essas são todas as falhas da personalidade que você deve evitar.
Na verdade, acredito que se está lendo todas estas dicas até agora, você está longe de ser um aspirante a ditador!

11. Falta de vontade de buscar ou aceitar feedback
Não gosta de ouvir críticas? Tem receio de pedir feedback para clientes e colaboradores? Saber a opinião das pessoas é imprescindível, pois te dará a oportunidade de corrigir desvios.

O que fazer?

> Busque feedback sobre sua atuação e de sua área – com clientes, pares, executivos e sua equipe.
> É essencial que você saiba qual a avaliação de seus clientes (internos e externos) sobre você e sua organização. Melhor você saber primeiro, não é mesmo?
> Não espere que alguém lhe diga, faça pesquisas, pergunte.

12. Resposta deficiente a uma crise

Como se sente quando tem problemas sérios no seu departamento? Um servidor que cai, um backup perdido, um prazo não cumprido ou algo mais sério? Pede ajuda ou entra em pânico? Sua atuação durante uma crise pode ser determinante para mantê-lo ou não em sua função, pois neste caso, gestão, pares e equipe o estarão observando.

Ação:

> Saiba comunicar o problema e o tempo de solução para todos envolvidos.
> Mostre sua capacidade de resolver o problema e garantir disponibilidade com calma e bom senso.
> Tenha planos para uma crise. Reúna a equipe já preparado.
> Tenha planos de escalonamento (e faça comunicados via conferencia para o grupo a cada hora, meia hora, 15 minutos – dependendo da situação).
> Peça ajuda logo! (caso tenha contratos de suporte ou especialistas internos).

> Após a solução, agradeça o empenho e paciência dos envolvidos. Explique o que, pq aconteceu e qual a solução em andamento ou aplicada) para que não corra novamente.
> Agradeça os responsáveis pela solução.

Espero que tenha gostado das dicas e que esta pesquisa seja apenas um dos primeiros passos em sua evolução.

Fonte: Renê Chiari ITSM na Prática – www itsmnapratica com  br

Publicações relacionadas

Comments are closed.